29.3 C
Manaus
quarta-feira, junho 12, 2024

Deputados estaduais calam sobre ausência do governador na CPI da Covid

Os deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) se isentaram de fazer referência ao assunto que tomou conta do noticiário nacional. Apenas os de oposição se manifestaram sobre o tema

Por

Enquanto senadores e outros políticos do Estado repercutiram a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em conceder o habeas corpus autorizando o governador Wilson Lima (PSC) a não depor na CPI da Covid, os deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) se isentaram de fazer referência ao assunto que tomou conta do noticiário nacional. Dos poucos parlamentares que compareceram à sessão híbrida desta quinta-feira, 10/6, apenas os de oposição se manifestaram sobre o tema.

Dermilson Chagas e Wilker Barreto, ambos do Podemos, usaram a tribuna para criticar a ausência do governador na CPI e também para fazer novas cobranças aos colegas parlamentares. “Que o Amazonas entenda as razões da liminar para o governador não ir depor. Porque ele é investigado. Acredite povo do Amazonas, o que salvou Wilson Lima de depor na CPI do Senado é o fato dele já ser investigado na Operação Sangria”, afirmou Wilker Barreto ao cobrar, mais uma vez, a instalação de uma CPI na assembleia para apurar as ações do atual Governo do Estado.

Seu colega de partido, o deputado Dermilson Chagas sugeriu que Lima não quis comparecer à CPI porque os senadores já tinha em mãos documentos que garantiam que a White Martins havia avisado há meses sobre o aumento da demanda de oxigênio medicinal no Estado. “A White Martins vinha alertando o estado do Amazonas desde junho do ano passado sobre o aumento da demanda que o Estado estava tendo de oxigênio. Lá na CPI muitos senadores já tinham esse documento”, afirmou ele dizendo ainda para o povo do Amazonas entender que “a ministra não poupou Wilson, mas mandou um recado claro de que se ele for para a CPI será um réu confesso. Se você for para a CPI você vai fazer uma oitiva lá e pode atrapalhar as investigações que corre contra você”, concluiu.

Justificativa – O deputado Delegado Péricles (PSL) usou seu tempo na tribuna para rebater e criticar uma postagem feita nas redes sociais da Secretaria de Segurança Pública (SSP) que o acusou de divulgar uma notícia falsa.

Segundo ele, a motivação teria sido uma fala, em que ele dizia que o atual comando técnico da secretaria não sabe trabalhar com inteligência, o que foi percebido nas ações ocorridas no último final de semana.

“Ontem eu fiz críticas a Secretaria Executiva de Inteligência por acreditar que ela é ineficiente. Mas para minha surpresa ontem na postagem da rede social da Secretaria de Segurança foi feita uma postagem atribuída a mim como sendo uma notícia fake. Isso porque eu falei ontem que o laboratório de combate à lavagem de dinheiro está desativado na secretaria de inteligência”.

O deputado, que presidiu parte da sessão plenária, solicitou esclarecimentos oficiais sobre o ocorrido. “Eu quero encaminhar à procuradoria um pedido para a Secretaria de Segurança solicitando explicação sobre essa postagem nas redes sociais atribuindo a mim uma notícia falsa. Isso não atinge apenas a mim, mas a todo este parlamente. A secretaria poderia utilizar dos meios oficiais para responder aquilo que venho denunciado, mas preferiram usar as redes sociais para me atacar. Não só a mim, mas como a toda população do Estado o Amazonas, pois esta casa representa o Estado”, argumentou.

Confira a postagem: 

 

— —
Por Izabel Guedes

Fotos: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -