27.3 C
Manaus
terça-feira, julho 16, 2024

Deputado federal agride colega durante discussão sobre uso medicinal de cannabis

O deputado bolsonarista Diego Garcia (Podemos-PR) agrediu o colega Paulo Teixeira (PT-SP), nesta terça-feira, 18/5, durante uma reunião da comissão especial que debatia o uso medicinal de cannabis

Por

O deputado bolsonarista Diego Garcia (Podemos-PR) agrediu o colega Paulo Teixeira (PT-SP), nesta terça-feira, 18/5, durante uma reunião da comissão especial que debatia o uso medicinal de cannabis.

Ao ter um requerimento negado por Teixeira, que é presidente da comissão, Garcia foi em direção do petista, puxou o seu computador, deu um tapa no peito do colega e o empurrou.

O bolsonarista havia defendido o adiamento da discussão na comissão.

Intervenção – Parlamentares tiveram de intervir para que a reunião pudesse ser retomada. “Esse deputado chegou aqui na frente e me deu um murro no peito”, afirmou Teixeira. Garcia então gritou, negando a agressão. “Você me empurrou”, insistiu o petista, dizendo que iria pedir a gravação da reunião. “Não teve violência”, respondeu o deputado do Podemos.

O primeiro-vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), criticou o episódio. “Xingamentos, agressões e ameaças não combinam com a atividade parlamentar. Não vamos permitir que a prática da intolerância e da violência se vulgarize no Parlamento. É hora de dar um basta antes que aconteça algo mais grave. Minha solidariedade ao deputado Paulo Teixeira”, declarou Ramos. A sessão foi retomada.

PL – A matéria em discussão é o PL 399/2015, que torna possível a comercialização de medicamentos que tenham a Cannabis em sua composição.

Estudos indicam que os derivados da planta podem ser utilizados no tratamento de doenças como Alzheimer, Parkinson, glaucoma, depressão, autismo e epilepsia. Além disso, já existem evidências conclusivas da eficácia dos canabinoides contra dores crônicas.

No tratamento de câncer, apresentando efeitos antitumoral e também contra enjoos causados pela quimioterapia e no tratamento da espasticidade causada pela esclerose múltipla.

Opinião – Durante os debates, o deputado Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), disse que a proposta iria facilitar o acesso da maconha no país. O que deixou muitos defensores, familiares e políticos, para o plantio de forma medicinal da Cannabis, revoltados, e afirmaram que o deputado não havia estudado o Projeto de Lei.

“Vai abrir portas, sim, para o plantio desenfreado e para a criação de uma indústria da agrocanabis e a maconha vai chegar com mais facilidade ainda nas nossas famílias”, afirmou o deputado Alberto Neto.

O projeto determina que o cultivo de Cannabis para fins medicinais será feito exclusivamente por pessoa jurídica, “previamente autorizada pelo poder público”. As sementes ou mudas usadas deverão ter certificação e só poderá ser feito o cultivo em local fechado, como uma estufa ou outra estrutura adequada ao plantio.

— —

Foto e vídeo: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -